Reservas
Escolha uma Região de Vinho

Uma coleção de hotéis vínicos, adegas, vinhas e restaurantes.

Vinho Verde Trás os Montes Porto e Douro Távora e Varosa Bairrada Dão e Lafões Beira Interior Lisboa Tejo Península de Setúbal Alentejo Algarve Madeira Açores
Mostrar Mapa

Tejo

A região do Tejo, anteriormente conhecida por Ribatejo pratica-se uma agricultura extensiva: produtos hortícolas e frutícolas, arroz, oliveiras e vinha preenchem as vastas planícies ribatejanas.

O rio Tejo é omnipresente na paisagem ribatejana e um dos responsáveis pelo clima, pelo solo e consequentemente, pela fertilidade da região. No Ribatejo o clima é mediterrânico, contudo sofre a influência do rio, por isso as estações do ano são amenas.

A Denominação de Origem do Ribatejo apresenta seis sub-regiões: Almeirim, Cartaxo, Chamusca, Coruche, Santarém e Tomar. Os solos variam consoante a proximidade do rio. O campo ou lezíria são zonas muito produtivas que se situam à beira-rio. Devido às inundações do Tejo é comum que as vinhas da zona fiquem, por vezes, completamente submersas. Na margem direita do Tejo, depois dos solos junto ao rio, situa-se a zona do bairro. É constituída por solos mais pobres e de origem calcária e argilosa, dispostos em terrenos mais irregulares entre montes e planícies. As principais plantações na zona do bairro são as oliveiras e as vinhas. Da margem esquerda do Tejo às regiões do sul próximas do Alentejo localiza-se a zona designada charneca. Aí, os solos são pouco produtivos e explora-se culturas que necessitam de pouca água, como por exemplo vinhas e sobreiros. Apesar de ser uma zona muito seca e apresentar as mais altas temperaturas do Ribatejo, as uvas têm melhores condições para a maturação do que em outras áreas da região.

O Ribatejo já foi famoso por produzir enormes quantidades de vinho que abasteciam especialmente os restaurantes e tabernas de Lisboa.

A legislação para a região é pouco restrita e permitiu a introdução de castas portuguesas e estrangeiras. Os vinhos tintos DOC do Ribatejo provêm não só de castas tradicionais da região (Trincadeira ou Castelão) mas também de outras castas nobres, como a Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon ou Merlot. A casta branca mais plantada na região é a Fernão Pires, sendo praticamente indispensável na produção dos brancos ribatejanos. Por vezes, é lotada com outras castas típicas da região como a Arinto, Tália, Trincadeira das Pratas, Vital ou a internacional Chardonnay.

Na produção de vinho regional do Ribatejo é permitido a utilização de castas não admitidas na Denominação de Origem. Sendo assim, os agricultores podem fazer mais experiências com o solo, clima e castas para produzir vinhos originais. Aliás, o Ribatejo possui cerca de 22300 hectares de vinha, apesar de apenas 1850 serem certificados para a produção de vinho DOC.

Independentemente da designação DOC ou Regional, o terroir do Ribatejo sente-se em qualquer vinho da região: brancos muito frutados e de aromas tropicais ou florais e tintos jovens, aromáticos e de taninos suaves.

Além da reestruturação das vinhas da região, as adegas e os produtores da região modificaram e modernizaram as suas adegas. Os grandes tonéis e depósitos de cimento que produziram milhões de litros de vinho foram substituídos por cubas de aço inoxidável, sistemas de refrigeração e pipas de carvalho para o envelhecimento do vinho.



Zonas Turísticas 


Santarém
, capital do Ribatejo, injustamente pouco conhecida e frequentada, pode apresentar-se como uma etapa agradável na estrada de Lisboa.

Tomar, cidade fundada em 1157 é denominada pelo castelo do século XII, que contém o Convento de Cristo, classificado património mundial da humanidade pela UNESCO, que constitui um dos monumentos mais emblemáticos da história portuguesa.

A parte histórica da cidade de Santarém esta repleta de igrejas. Recomenda-se visitas à Igreja do Seminário, à Igreja de Marvila, à Torre das Cabaças, ao Núcleo Museológico do Tempo e ao Museu Arqueológico.

O centro da cidade de Tomar é formado por ruas estreitas. A rua mais comercial é a Rua Serpa Pinto, que conduz à Igreja de São João Baptista, na Praça da República. Recomenda-se visitas também ao Convento de Cristo, à Sinagoga, ao Museu Luso-Hebraico de Abraham Zacuto.


TRANSPORTES

Comboio

Estação de Santarém, Estrada Nacional 365, +351 707201280 / Estação de Tomar, Várzea grande, +351 249 312815. Mais informação: www.cp.pt.


Autocarro

Estação Rodoviária do Tejo, Avenida do Brasil 45-47, +351 243 333200.


Automóvel

Santarém: A partir da cidade do Porto, siga pela A1/Lisboa e siga pela saída 6 em direcção a N114/​Santarém/​A2/​A6/​A13.
A partir da cidade de Lisboa, siga pela A1/Porto e siga pela saída 6 em direcção a N114/​Santarém/​A13.

Mais informação: www.estradasdeportugal.pt.



POSTOS DE TURISMO

Região do Turismo do Ribatejo, Rua Capelo Ivens, 63, +351 243 304437 /  Posto de Turismo Municipal, Avenida Cândido Madureira, +351 249 329823. 



Why book with us
Guia Completo de Viagem / Melhores Preços / Melhores Parceiros / Sem Taxas de Reserva / Aconselhamento / Reservas Fáceis, Cómodas e Seguras.